sábado, agosto 18, 2007

PEDRO, LEMBRANDO INÊS






Em quem pensar, agora, senão em ti? Tu, que

me esvaziaste de coisas incertas, e trouxeste a

manhã da minha noite. É verdade que te podia

dizer:"Como é mais fácil deixar que as coisas

não mudem, sermos o que sempre fomos, mudarmos

apenas dentro de nós próprios?"Mas ensinaste-me

a sermos dois; e a ser contigo aquilo que sou,

até sermos um apenas no amor que nos une,

contra a solidão que nos divide. Mas é isto o amor:

ver-te mesmo quando te não vejo, ouvir a tua

voz que abre as fontes de todos os rios, mesmo

esse que mal corria quando por ele passámos,

subindo a margem em que descobri o sentido

de irmos contra o tempo, para ganhar o tempo

que o tempo nos rouba. Como gosto, meu amor,

de chegar antes de ti para te ver chegar: com

a surpresa dos teus cabelos, e o teu rosto de água

fresca que eu bebo, com esta sede que não passa. Tu:

a primavera luminosa da minha expectativa,

a mais certa certeza de que gosto de ti, como

gostas de mim, até ao fundo do mundo que me deste.


NUNO JÚDICE in Pedro Lembrando Inês

Foto de Carla Salgueiro

6 comentários:

Palavras ao vento disse...

Não poderia encontrar melhor entrada para uma ausência ( da minha parte)... Nestas palavras de Nuno Júdice!

PS: Pensei em dizer Adeus a tudo o que me rodeava ( inclusive a poesia)... Mas NÂO...

Lutarei e não me deixarei vencer!

Bom domingo
Beijos

Maria Valadas

MARIA disse...

Olá Lumife,
Guardei, no meu sábado , a lembrança deste escrito que aqui deixaste...
Um beijinho
Maria

Olhos de mel disse...

Nossa! Palavras e foto numa interação perfeita! Lindas palavras! Emocionante.
Que sua semana seja de grandes realizações! Fique com Deus! Beijos

Sophiamar disse...

Um lindo poema de um poeta que apaixona.
Beijinhos

Olinda Bonito disse...

não tenho sequer uma palavra para comentar.
descobres poesia que realmente mexe com es sentimentos que muitos não podemos mostrar.
parabens.

Charlie disse...

Como sempre, um post *****
Nuno Judice. Um must.
Quando é que voce faz um post de que não se goste?....hehehehe
Um abraço