sábado, novembro 24, 2007

Livro de Horas

Salvador Dali



Aqui, diante de mim,
eu, pecador, me confesso
de ser assim como sou.
Me confesso o bom e o mau
que vão ao leme da nau
nesta deriva em que vou.

Me confesso
possesso
de virtudes teologais,
que são três,

e dos pecados mortais,
que são sete,
quando a terra não repete
que são mais.

Me confesso
o dono das minhas horas.
O das facadas cegas e raivosas,
e o das ternuras lúcidas e mansas.
E de ser de qualquer modo
andanças
do mesmo todo.

Me confesso de ser charco
e luar de charco, à mistura.
De ser a corda do arco
que atira setas acima
e abaixo da minha altura.

Me confesso de ser tudo
que possa nascer em mim.
De ter raízes no chão
desta minha condição.
Me confesso de Abel e de Caim.

Me confesso de ser Homem.
De ser um anjo caído
do tal Céu que Deus governa;
de ser um monstro saído
do buraco mais fundo da caverna.

Me confesso de ser eu.
Eu, tal e qual como vim
para dizer que sou eu
aqui, diante de mim!

Miguel Torga

9 comentários:

Leonor Costa disse...

Miguel Torga é um dos meus poetas favoritos. O poema é fabuloso!

Um abraço!

NA CORRENTE DA VIDA

rui disse...

Olá

A poesia de Miguel Torga sempre me fascinou!
Gosto do teu cantinho.

Que tenhas um bom fim-de-semana
Abraço

lena disse...

um poema lindo e Miguel Torga o Poeta tão forte que fascina

Lumife sabe bem chegar aqui e ler o que se gosta e tu dás-me esse prazer

o meu beijo à Carolina e ao pequenito Bruno meu querido amigo

para ti o meu abraço terno e amigo

beijinhos

lena

peciscas disse...

Este é o Torga que ficará para sempre.
Na próxima semana, todos os meus posts, terão como mote um outro gigante da nossa poesia, António Gedeão.
E o poema que me vai servir de referência, tem, afinal, subliminarmente, uma mensagem semelhante à deste.

http://paixoeseencantos.blogs.sapo.pt disse...

gostei deste poema,desta confissão:)
eu no tenho uma confissao ,mas tenho um segredo :)
♥ . . ♥ . . ♥ . . ♥ . . ♥ . . ♥ . . ♥ . . ♥
......... ) ` - . .> ' `( ........
........ / . . . .`\ . . \ ............vim♥
. ....... |. . . . . |. . .| ...........te♥
.. ....... \ . . . ./ . ./ ..........fazer♥
........... `=(\ /.=` ...............uma♥
............. `-;`.-' ............ .visita♥
. .............. `)| ... , ............ e♥
................ || _.-'| ......... deixar♥
............. ,_|| \_,/ .............. uma♥
. ...... , ..... \|| .' ..............rosa♥
....... |\ |\ ,. ||/ .................para♥
. ... ,..\` | /|.,|Y\, ................que♥
..... '-...'-._..\||/ ............ ....teu♥
......... >_.-`Y| .....................dia♥
.............. ,_|| .................fique♥
................ \||.............perfumado♥
................. || .............♥
................. || .Bjs...♥
bom fim de semana
carla granja

MARIA disse...

Olá Lumife,
pois Torga é gigante...
Por favor , passa na PSIQUE.

jorge vicente disse...

um dos mais belos poemas de Torga, que li pela primeira vez no Secundário.

me confesso de ser poeta. como tu.

um abraço forte
jorge

Charlie disse...

Torga, quanto do teu olhar existe em cada pedra, em cada erva tenaz e eterna, que das palhas ardidas enche de vento as rochas de que o seu corpo é feito.

Um abraço Lumife.
Sempre um enorme prazer visitar estes blogues.

Su disse...

eu pecadora me confesso....

adoro torga e o poder das palavras

jocas maradas