quarta-feira, março 31, 2010

BALANÇA





Coloca a tua vida
num prato da balança – a tua vida
inteira, não hesites:
cada sonho da infância;
cada desejo ou cada angústia
desse longo e tão mudo purgatório
a que chamaste adolescência;
cada ambição funesta ou virtuosa
que já realizaste ou se perdeu
desde o dia em que alguém te considerou
um adulto sereno, responsável;
e todos os prazeres, todas as alegrias,
todos os medos, todas as esperanças
onde quiseste ver reflectida
a beleza do mundo.

Do outro lado põe apenas
o rosto de quem amas:
os olhos, o sorriso, o tom da voz,
nada mais do que isso.

Depois não tenhas medo:
destrava num só gesto essa balança
e vê o resultado.


Fernando Pinto do Amaral

(A Luz da Madrugada)

4 comentários:

jorge vicente disse...

shiva
shakti

a balança equilibrada?

Isabel-F. disse...

lindo o poema ...

gostei.


bjs e uma Boa Páscoa.


isabel

betencourt disse...

Do mais puro sensualismo que já li por estas paragens

Lindo, mesmo muito lindo.

Excelente selecção de poetas

Lídia Borges disse...

Fiquei a pensar como uma vida inteira pode pesar menos do que um sorriso e um olhar... Mas pode, de facto!
Ah! o funcionamento destas balanças...

Lindo!