sexta-feira, agosto 24, 2007

SENTIMENTO




Eu recordo a tua presença,
na voz meiga e serena,
o teu cabelo
ondulando ao vento,
como se me envolvesses
com o pensamento.

Vivo contigo,
todo este momento,
de muito perto
sofrendo a ausência
se estás longe
quando desperto.

Sinto a vibração do teu corpo,
no meu cansaço,
e quero, contigo transpôr
as portas do silêncio,
vogando lentamente
no éter do firmamento.

Poema de João-Maria Nabais

Foto de Nuno Belo - 1000 Imagens

5 comentários:

Popper disse...

Pois cá estamos de regresso para o roteiro do costume.
Um abraço.

MARIA disse...

Olá Lumife,
Que poema tão terno e tão bonito escolheste, desta vez.
Fica-se confortavelmente de alma acomodada às palavras que dizes, através dele.
Um beijinho
Maria

Ana Luar disse...

Uma escolha perfeita para este fim de tarde chuvosa.

Obrigada pela escolha deliciosa e por todas as visitas lá ao Ana Luar.:)

eremita disse...

Que suave doçura, da imagem às palavras.
Fraterno abraço e bom fim-de-semana

MARIA disse...

Obrigada pela Trova ao Vento que Passa e pelo poema ao Alentejo.
Gosto muito também do Alentejo.
Conseguiste a Trova ao Vento que Passa. Ninguém encontrava nada "decente" do ZECA o outro dia.
Só deu para visualizar dois vídeos. O terceiro já estava retirado.
Foi uma EMOÇÃO...
Um beijo
Maria